Roteiro para Ilha de Páscoa: dicas e impressões desse lugar fantástico!


Que lugar INCRÍVEL!! Definitivamente, um dos lugares que mais me surpreendeu na vida. Já fui sabendo que seria uma ilha mágica e com energia única, mas tudo foi mais deslumbrante do que poderia ter imaginado. Minha viagem sozinha para esse lugar rendeu, além de muitas fotos e vídeos, uma conexão incrível com a natureza. Escrevo esse roteiro para Ilha de Páscoa com dicas, muito sentimento e impressões para ajudar você a organizar um roteiro para a Ilha de Páscoa, o lugar habitado mais isolado do mundo!

ORGANIZANDO SUA VIAGEM

 

Esse lugar tem de entrar na lista de desejos de quem curte história, cultura, mistério e paisagens naturais incríveis. É uma ilha vulcânica, formada há milhões de anos por 3 vulcões inativos: Rano Kau, Po Ike e Rano Raraku, todos visitáveis hoje em dia. Ao todo, tem duas praias de acesso fácil, águas cristalinas e areia branca, a Anakena e Ovahe. É um local que oferece trilha, relaxamento, mistério e misticismo.

A 3700 km da América do Sul e a 4000km da Polinésia Francesa, é simplesmente o lugar habitado mais isolado do planeta. Um pontinho no meio do Oceano Pacífico que, apesar de ser território chileno, já está na Oceania e é de cultura polinésia. A história do povo indígena Rapa Nui está ali, naquele pedaço de 160 km quadrados de terra, assim como os famosos Moais, construídos entre 1250 e 1500, somando mais de 800 estátuas espalhadas na ilha.

Os moais foram esculpidos a partir das pedras do vulcão Rano Raraku, que hoje está na famosa Fábrica de Moais. Eles são divididos em 2 grupos: “ahu”, que estão junto ao mar e têm câmara crematória; e “marai”, que ficam em zonas elevadas, onde faziam observações astronômicas. O povo local tem idioma próprio, apesar da língua mais usual ser o espanhol. Não cheguei a reparar se estão preparados para receber o turismo de língua inglesa, pois só falei espanhol (na verdade brinco que meu idioma é o estranhol, hahaha), mas acredito que dê pra se comunicar tranquilamente em inglês, pois há um nicho de turistas considerável que utiliza essa língua por lá.

Rapa Nui, que significa “Ilha Grande”, era o nome ancestral do local. Ilha de Páscoa foi o nome dado pelo explorador holandês Jakob Roggeveen (1659-1729), oficialmente o primeiro europeu a pisar na ilha – como ele chegou em um domingo de Páscoa, resolveu dar-lhe este nome.

Os europeus chegaram na Ilha por volta de 1720 e entre 2 e 3 mil indígenas viviam lá. Em 1888, Páscoa foi anexada pelo Chile, com pouco mais de 100 descendentes. Atualmente, está sendo discustida pelos parlamentares chilenos a alteração do nome da ilha para Ilha Rapa Nui. A justificativa é que “Ilha de Páscoa” remete ao passado de invasão e escravidão da Ilha pelo europeus. O que acham? Eu acho justo! Se quiserem saber mais a respeito, vejam a matéria que saiu na BBC.

Bom, a Iilha é bem pequena em termos populacionais. Em 2018, era estimado um pouco mais de 7 mil habitantes. A população se concentra no lado oeste, em Hanga Roa, e vive basicamente do turismo. No centrinho, é possível encontrar mercadinhos, alguns restaurantes, lanchonetes, o hospital (que é público) e alguns hotéis/pousadas. Provavelmente, você ficará hospedada em Hanga Roa, onde tudo acontece. As demais áreas da Ilha fazem parte do Parque Nacional Rapa Nui; não há possibilidade de hospedagem e o camping é proibido.

Viaje com seu seguro viagem e tenha desconto usando o código levenaviagem5!

É importante saber que, na Ilha, tudo é relativamente caro. Mas levando em consideração que é o lugar mais isolado do mundo, imagine o trabalho e o quanto se gasta para as coisas que não são produzidas no local chegarem até lá. Tem um motivo razoável nesse quesito. Mas calma, fiz um post para te ajudar, veja: 8 DICAS DE COMO ECONOMIZAR NA ILHA DE PÁSCOA.

Minha viagem até Páscoa foi, na verdade, um stop over que fiz na minha viagem para a Polinésia Francesa. Ou seja, conheci dois lugares comprando uma passagem só. Se não sabe o que é e como funciona, dá uma olhada nesse post: DICAS INFALÍVEIS PARA COMPRAR PASSAGENS AÉREAS MAIS BARATASLá no Instagram eu também postei foto explicando mais sobre o stop over. Se ainda tiver dúvidas, deixa um comentário aqui no post que respondo!

Fica a dica pra ver fotos e vídeos lindos das minhas viagens ⇒ @levenaviagem

Fui sozinha e afirmo para vocês: foi uma das melhores viagens da minha vida!

E aí, vamos ao que interessa?

Roteiro para Ilha de Páscoa

Como chegar na Ilha de Pascoa

Aqui é a grande questão, por dois motivos:

Primeiro, as passagens são caras e não agradam ao bolso da maioria;
Segundo, há poucas possibilidades de voos para Ilha e isso contribui diretamente para o primeiro ponto.

O aeroporto da Ilha é bem pequeno, mas só recebe avião de grande porte, por conta da distância de qualquer outro lugar. Os voos regulares são de apenas duas empresas aéreas: a Latam e a American Airlines. A primeira oferece voos mais interessantes, com apenas 1 parada em Santiago e dura 5h30 a partir da capital chilena. A segunda cia oferece voos com 2 conexões, geralmente em Nova York ou Miami, além de Santiago. Na verdade, depende do seu ponto de vista. Se tiver tempo e quiser fazer um stop over, vale super a pena! Você pode descer em NY, por exemplo, ficar uns dias e depois embarcar para Ilha de Páscoa. Ou você pode descer em Santiago, conhecer a capital chilena por um tempo e só embarcar para a Ilha posteriormente. Essa técnica é fenomenal!

Observação de ingresso na Ilha de Páscoa: Desde agosto de 2018 é obrigatório, para ter acesso à Ilha, apresentar passaporte ou RG, formulário de ingresso ao território Rapa Nui (preenchido nos portos e aeroportos antes do embarque), comprovar a passagem de retorno e comprovante de reserva de hospedagem. Para mais informações: www.gob.cl/rapanuiprotegida.

DICA: Chegando no aeroporto, compre já seu ticket de entrada do Parque Nacional Rapa Nui. Ele custa $80 ou 54.000 pesos chilenos. Ele te dá direito a entrada em todas as atrações do parque e você não paga a mais por comprar ali, só adianta sua vida.

Roteiro para Ilha de Páscoa: Quando Ir

A alta temporada, que vai de novembro até fevereiro, costuma ser de mais sol e menos chuva. No entanto, a Ilha fica mais cheia e os preços sobem consideravelmente. Nos dez primeiros dias de fevereiro tem o Festival Tapati, a festa Rapa Nui. Dizem ser incrível e atrair muito turista, deixando a cidade um pouco lotada, uma vez que o centrinho é bem pequeno.

No inverno, que foi quando fui, as temperaturas são mais amenas e chove um pouco mais, mas não chega a fazer frio. Em alguns locais, como no topo do vulcão, venta um pouco mais, portanto indico que leve um corta vento. Um agasalho também é bom , pois a noite chega a uns 18ºC e, para alguns, pode ser friozinho.

Roteiro para Ilha de Páscoa: Onde se hospedar

A minha hospedagem foi por couchsurfing, que é um modelo de hospedagem gratuita existente em todo o mundo. Através da plataforma, você faz um perfil e vê outros perfis de viajantes que oferecem um cantinho na sala, um quarto ou uma cama para outros viajantes se hospedarem sem gastar nada por isso. Isso mesmo, sem pagar NADA! Escrevi mais a respeito nesse post: DICAS INFALÍVEIS PARA COMPRAR PASSAGENS AÉREAS MAIS BARATAS.

Isso, honestamente, fez com que meus gastos fossem bem menores do que qualquer outra pessoa que gasta com hotel lá. E mais, fiz amizade com Sebastian, o anfitrião que me recebeu muito bem e foi uma companhia agradabilíssima ao longo da minha viagem solo. É uma ótima maneira de conhecer mais a realidade local, explorar lugares que só quem mora lá conhece, além de fazer redes pelo mundo. Anote essa dica para seu roteiro em Ilha de Páscoa! Maaaas…

Quem quiser saber mais sobre hotéis, as indicações são as seguintes:



Booking.com

Roteiro para Ilha de Páscoa: Como se locomover

É possível dar uma volta de carro por toda a ilha em apenas um dia, sem entrar nos lugares de visitação, claro. No entanto, as atrações estão um pouco distantes do centrinho Hanga Roa e, portanto, torna quase imprescindível o aluguel do carro. Dessa forma, você consegue fazer seus passeios de forma independente, uma vez que não precisa de guia para mostrar os lugares, apenas para as explicações culturais e históricas. Ficar de carro sozinha pressupõe que você lerá um pouco antes de viajar e vai colher informações a respeito de cada lugar visitado. Afinal, é preciso ter sentido no que você está vendo e visitando por lá, certo?

Se você gosta de explicações e visitas guiadas, eu recebi indicação da agência Te Ao Tour, que faz visitas com duração de um dia inteiro. Para aluguel de carro, sugiro a Oceane Rent a Car. Mas já aviso que os valores não são muito amigáveis, ainda mais pela necessidade de carros 4×4, por conta dos trechos de terra em algumas atrações.

Fica a dica de aluguel de bike, que pode ser uma aliada na economia e no bem-estar dessa sua viagem. 😉

 

Roteiro para Ilha de Páscoa – passeios imperdíveis – O que fazer em 3 dias

Agora, anote no seu roteiro para a Ilha de Páscoa os seguintes passeios:

 

·       Fábrica dos Moais e Vulcão Rano Raraku

Que lugar surreal!! Lá, é possível encontrar diversos Moais espalhados pela montanha, e tem uma vista para o mar de tirar o fôlego. É possível observar os Moais nas rochas ainda sem terem sido separados da pedra. Ver o processo e quão perfeito era tudo aquilo que os Rapa Nui faziam arrepia. O passeio demora cerca de 2 horas. Bom, pelo menos para mim foi assim. Talvez por estar sozinha, me conectava muito com todo o ambiente e tenha demorado um pouco mais do que os demais. No entanto, esse é um dos sítios que você só pode ir uma vez com o ticket do parque. Então passe o tempo que for necessário.

Ao lado, ou seja, no mesmo passeio, está a cratera do vulcão Rano Raraku, bem bonita com uma lagoa e ao fundo é possível ver moais espalhados na mata. É uma sensação bem curiosa estar em uma cratera de vulcão inativo, uma mistura de calmaria e força no mesmo lugar. Minha dica é visitar primeiro essa cratera, antes da cratera do Rano Kau. Por que? Porque essa segunda, para mim, foi absolutamente incrível. Se visitar o Rano Raraku depois, vai ficar um pouco desapontada. 🙂

Ao sair, na lanchonete do atrativo, aproveite pra comer uma das melhores empanadas que já comi! É cara, como tudo na ilha, mas vale a pena. É de atum fresquinho e já pode ser um almojanta, que no final sai barato, uma vez que será seu almoço e jantar.

·       Praia Anakena

Sim, na Ilha é possível ir à praia de água azul, areia branca e com direito a Moai. A praia mais famosa é a Anakena, e ao lado dela está Ovahe, que não cheguei a ir. Vale um pulo caso tenha tempo, afinal, você estará no meio do Oceano Pacífico! Leve óculos de natação ou alugue snorkel. Dá para ver alguns peixinhos por lá, pois a água é bem clarinha.
Eu não fiz, mas sei que é possível mergulhar com cilindro em diversos locais da ilha. Se quiser saber mais a respeito, dê uma olhada no site da Orca.

·       Ahu Tongariki

Sem palavras pra esse lugar!!! Eu fui umas 3 vezes durante minha estadia, foi mais forte do que eu! A maior estrutura dessa natureza em toda Polinésia.
Fui tanto no nascer do sol, que é incrível, quanto no final da tarde. Nesse último o tempo estava fechado, mas de repente todos foram presenteados com um arco íris que mais parecia um sonho. Inacreditável, apenas. Foi muito intenso. Quem acompanhou essa minha viagem solo pelo Instagram do Leve na Viagem viu que fiquei muito emocionada.

Sobre o nascer do sol, é importante saber que o sol só nasce exatamente atrás dos 15 Moais no verão. Mas, independentemente da época e da hora, quando for, sente na grama, sinta a energia do lugar, observe os pássaros nos Moais, o tempo que passa sem perceber e se deslumbre com aquela obra de arte.

     

·       Orongo

É uma aldeia de celebrações do Rapa Nui, e foi parte importante dos antigos rituais do povo indígena, além de ser o ponto de partida da competição do Homem-Pássaro. O visual do mar infinito, a calmaria do lugar ao som do oceano e a vista do vulcão Rano Kau são incríveis!

 

·       Rano Kau

Que cratera é essa!!!! Muito difícil dizer qual passeio me surpreendeu mais nessa ilha mágica, mas esse vulcão me tirou o fôlego, de verdade. Você pode avistá-la do mirante e também no passeio de Orongo. Minha indicação, no entanto, é que faça a trilha de parte da cratera, que começa justamente no mirante. Siga a esquerda dele beirando a cratera, a trilha não é muito definida, não tem indicação, mas também não tem erro. Não precisa de guia e a caminhada dura cerca de 45 minutos, com aquela visão majestosa até que chega ao final e…. Nossa, não tenho palavras para descrever!!

É de uma magnitude sem igual. Você imagina aquele vulcão em erupção há milhares de anos atrás jogando lavas no oceano. E hoje aquela calmaria absurda de maravilhosa. Gente, eu chorei… Não sabia lidar com aquilo de tão espetacular. Como não tinha visto fotos em blog nenhum antes de ir, foi mais incrível ainda, pois eu não sabia o que me esperava. Quando nos surpreendemos positivamente com algo que já sabíamos que seria incrível, é uma sensação indescritível!!!

 

 

·       Ahu Tepeu

A lava dos vulcões da Ilha originou várias cavernas por lá, e o lugar onde há várias se chama Ahu Tepeu. Passeio que superou minhas expectativas por dois motivos: primeiro porque eu estava sozinha e quase não tinha turista no dia que eu fui. Me ver só no meio de uma imensidão da natureza sem fim, de uma beleza incabível, foi muito intenso. Segundo, porque fui de bicicleta, e aí entra a questão da superação. Não tenho tanta prática com bike e lá o terreno é bem off road. Cascalho, subidas, lama, grama, pedras, nada estável nem tranquilo. Foi bem difícil para mim e, sozinha, não tinha quem ajudasse, era eu por mim mesma. Mas isso foi lindo, pois completou a magnitude do lugar com o desafio pessoal.

A explicação de como achar os lugares no meio de tanta natureza é dada logo quando apresenta seu ticket na entrada. Não deixe de ir até o final, entre nas cavernas, ouça o silêncio, sinta a escuridão e o poder da natureza. Não deixe de entrar na Ana Kakenda. Depois sente nas rochas com vista pro mar, pare por um instante. Fiz isso e tentei meditar um tempo em um penhasco e foi um dos momentos mais incríveis da viagem.

 

 

·       Pôr do sol na ilha

O mais famoso da ilha é o Taha, onde tem Moais a esquerda e um a direita. Muitos turistas se juntam ali para ver o sol ir embora atrás das estátuas. No inverno o pôr do sol acontecer por volta das 18h30 e no verão por volta das 20h30. O estacionamento está bem próximo das plataformas, então o acesso é super fácil.

Outro lugar que vale a pena é menos turístico, no Hana Kio’e, e lindíssimo! Com o mapa da ilha, você consegue entender como se locomover até lá.

 

Dicas importantes em um bom roteiro para Ilha de Páscoa

  • Leve pesos chilenos e não dólar, apesar de também ser aceito lá. Para comprar seu peso chileno, troque no primeiro andar do aeroporto de Santiago, quando você fizer a conexão. A casa de câmbio é a AFEX e, apesar de ter no andar de desembarque, a cotação do embarque é melhor.
  • A voltagem da cidade é 220V.
  • Visite o cemitério, garanto que é diferente dos que já viu.
  • É possível achar táxi na ilha, são os carros sem ser 4×4 e levam uma plaquinha no vidro da frente escrito TAXI, mas não são tão comuns.
  • O mercadinho que aceita todos os cartões de crédito está na rua principal e se chama Supermercado. Ao lado, tem uma loja de bebidas com ótimas opções de cervejas, vinhos e petiscos, e aceitam cartão.
  • Além do caixa automático do aeroporto, há outros dois: no Banco do Estado e no Banco Santander, ambos no centro da cidade, Hanga Hoa.
  • O melhor lugar para comprar souvenir é na cidade e não nos pontos turísticos, pois são mais caros. No centro tem uma feirinha e algumas lojas.
  • Se quiser assistir a uma apresentação de dança tradicional, um dos lugares mais famosos é o Maori Tupuna.
  • Dica para comer um ceviche sensacional: Tataku Vave.
  • Saúde na língua Rapa Nui se fala Manuia, aproveite para brindar já na língua deles! E obrigada se diz Maururu.

Vá leve nessa viagem e aproveite cada instante nesse lugar mágico, que ficará na minha memória para sempre…. 🙂

 


 

Luisa Galiza

Veja os comentários

  • Olá, Luisa! Tudo bem? Parabéns pelo Blog! Adorei seus posts de Páscoa e da Polinésia. Achei irado sua viagem no veleiro. Já conversei com a Andreia do Moskitovaliente para fazer um tour de 10 dias. Então, preciso de uma ajudinha sua. Como conseguiu comprar passagens com stop over em Páscoa? Encontrei milhas por 53 mil o trecho do Brasil até Pappete pela Latam, tanto para ida como volta, mas não tem opção de stop over. Tentei perseguisar um dos trechos sem milhas, mas também não há opção de stop over. É possível comprar trechos separados, mas o preço fica 3 vezes maior. Como foi que comprou? Trechos separados ou tinha opção de stop over? Se puder me ajudar agradeço muito. Mais uma vez parabéns pelo blog, na verdade curti varias viagens suas, principalmente as que não fiz ainda, como Lençóis, Uyuni e Torres. Abraço, Rodrigo.

    • Oi Rodrigo, tudo bem? Poxa, obrigadíssima pelo feedback positivo, fico super feliz!! Olha, na compra da passagem você precisa ver se esse voo da Latam já faz conexão na Ilha de Páscoa. Se sim, você precisa selecionar múltiplos destinos pra comprar. Ai coloca sua cidade (SP por exemplo) - Ilha de Pascoa, Ilha de Pascoa - Pappete e depois a volta direto. Entende? Pq se o voo já faz conexão lá, quando vc coloca a opçao multiplus destinos ele não fica mais caro, você só adia a sua entrada no avião para Peppete, entende? Espero que consiga.... A viagem no veleiro é incrível!! Se fechar com eles e for mesmo, me dá um alô! :)

  • Oi Luisa, tudo bem sim. Obrigado pelos esclarecimentos. Agora consegui visualizar. Ruim é que o valor sai muito mais caro do que com milhas. Pena que não tem a opção de multi-trechos para milhas, e o trecho separado de Páscoa a Pappete também não disponibilizam nas milhas. O jeito é comprar a ida cara e a volta direta na milhas. Ou fazer Polinésia + Nova Zelândia, aproveitando a promoção de milhas para ambos e deixo Páscoa para uma outra oportunidade. Valeu mesmo, abraço!

    • Oi Rodrigo! Ah que pena que não deu certo. Páscoa é um lugar abençoado.. Mas Nova Zelandia tbm não é nada mal! ;)

  • Oi Luisa, tudo bem sim. Obrigado pelos esclarecimentos. Agora consegui visualizar. Ruim é que o valor sai muito mais caro do que com milhas. Pena que não tem a opção de multi-trechos para milhas, e o trecho separado de Páscoa a Papeete também não disponibilizam nas milhas. O jeito é comprar a ida cara e a volta direta na milhas. Ou fazer Polinésia + Nova Zelândia, aproveitando a promoção de milhas para ambos e deixo Páscoa para uma outra oportunidade. Valeu mesmo, abraço!

  • Eu não sei como não te descobri antes! Mulher, seu conteúdo é maravilhoso! A forma que você escreve, as dicas que você dá... Parabéns! Estou consumindo muita informação por aqui!

Posts recentes

Câmeras ao vivo pelo mundo: 6 opções para você viajar dentro de casa

Às vezes, as possibilidades de viagem ficam reduzidas e isso pode nos desanimar. No entanto,…

% dias atrás

Países que falam a língua portuguesa: 6 para você conhecer

Viagens internacionais costumam ser um sonho antigo de muitas pessoas. No entanto, entre diversos possíveis…

% dias atrás

Hoteis perto de Guarulhos: 6 opções para todos os gostos

Se você procura por hospedagem em Guarulhos, muito provavelmente tem uma razão mais prática, seja…

% dias atrás

Hoteis fazenda em SP: 6 opções para você conhecer e relaxar

É comum que, ao pensar em hospedagem, venham à cabeça hotéis enormes, chiques, com ofertas…

% dias atrás

Doces fitness rápidos e fáceis: 6 receitas para qualquer viagem

De vez em quando a gente tem uma vontade de comer doces, mas acaba ficando…

% dias atrás

Alimentação saudável na pandemia: como manter bons hábitos

A pandemia do Coronavírus não é novidade. Aliás, já se tornou algo desgastante. Mais de…

% dias atrás