Praias selvagens no Rio de Janeiro, o paraíso da capital.


Sim, as mais lindas praias selvagens do Rio de Janeiro estão a poucos quilômetros de distância do centro. De estilo natural e selvagem mesmo, literalmente, chega-se nelas somente por meio de trilha ou barco e não há nenhuma infraestrutura nos locais.

Sair da zona sul do Rio e conhecer outras praias ao redor pode te mostrar belezas que nem imaginava e melhor ainda, isso pode ser feito em bate e volta, conhecendo uma ou duas praias selvagens no mesmo dia. No entanto, o ideal é tirar uns dias, se hospedar na região em que elas se encontram e conhecer com calma os visuais espetaculares dali. Recomendo uma olhada no post ROTEIRO LADO B NO RIO DE JANEIRO: TUDO QUE VOCÊ NÃO IMAGINAVA, AQUI!

ORGANIZANDO SUA VIAGEM

 

Praias selvagens do Rio de Janeiro

São 5 no total  e todas abertas para visitação. São elas:


Praia das Conchas

Também chamada de Praia dos Búzios, é a primeira das 5 praias visitadas. Depois de andar por mais ou menos 1 km e meio, no final da Praia do Canto, você encontra o local. Fica logo abaixo da Pedra da Tartaruga, famoso point para prática e rapel.

Praia do Perigoso

É a mais visitada de todas. Ao lado da Pedra da Tartaruga, tem água clara e muitas vezes com excelente visibilidade. E olha que interessante: a praia ganhou esse nome por causa de lendas locais. Uma delas conta que um perigoso fugitivo da prisão de Ilha Grande (que hoje, desativada, é destino turístico do vilarejo de Dois Rios) permaneceu na praia por muito tempo após a fuga. Outra diz que esse nome é atribuído devido aos perigos que a selvageria da praia oferece, já que em alguns momentos o mar pode ficar bastante agitado e com correntezas fortes. Fato é que, independentemente da origem, a praia é deserta, não conta com salva vidas e, por isso, demanda cuidado.

Praia do Meio

Maior das cinco praias, com quase 350m de extensão. É onde fica a Pedra do Telégrafo. Para acessá-la, é preciso voltar à trilha principal e andar por 500m. Tem esse nome por ser a 3ª praia da trilha principal, ficando entre as duas primeiras e as duas últimas.

Ajude o blog a se manter!
Quer continuar vendo as melhores dicas do Leve na Viagem? Dá uma forcinha pra gente. Se você fizer reservas pelos links do Booking.com disponíveis aqui, uma pequena comissão é destinada ao blog, sem que você pague nada a mais por isso! O Leve na Viagem é gratuito e mantido com carinho, mas precisa da sua contribuição! 🙂

Praia Funda

Água de um azul incrível, mata atlântica intocada ao fundo e muitas conchas na areia. A partir dela, a mata é mais fechada e menos explorada, por isso, é necessário maior preparo físico para continuar na trilha. A praia é uma área de preservação ambiental.

Antes de pensar em qualquer trekking, lembre-se que equipamentos de qualidade são essenciais para a boa prática, segurança e conforto. Eu indico a Loja online da Netshoes com bons preços e as melhores marcas de mochilas, isolantes, anoraks, botas e tudo o que você imaginar para o mundo de trilha, trekking e aventura.

Praia do Inferno

Prainha pequena, cercada de pedras e mata fechada. É a última praia da trilha principal, e, por isso, é a mais deserta das 5. Fica 500m depois da Praia do Meio. O sol não ilumina o dia todo e, por conta das ondas, às vezes pode ser complicado chegar de barco.

Qual a melhor forma de explorar as praias selvagens: Trilha ou barco?

Depende do seu gosto, bolso e tempo. Eu adoro trilha e adoro barco. Conheci Perigoso das duas formas e, as demais, só de barco.
As trilhas são fáceis, sinalizadas e exige pouco, apenas nas subidas. Você pode fazer sem guia, mas caso prefira ir com alguém que já conheça o local, indico o pessaol do Desbravando Rio ou ainda o gupo Trilhas RJ.

Se você for fim de semana, prepare para começar a trilha cedo. O centro de Guaratiba e a praia da cidade ficam muito cheias e estacionar ali pode ser complicado. Achando uma vaga, no lado direito da praia do Canto suba as escadas entre as casas e siga as placas que sinalizam as praias selvagens. Qualquer dúvida, o local é bem movimentado e você consegue pedir informação. A mais perto é a do Perigoso e a mais longe a do Inferno, com 2km de trilha.

ORGANIZANDO SUA VIAGEM

Fiz o passeio de barco até as praias com o pessoal do Tugas Marambaia, que cobra cerca de R$100 por pessoa. O passeio tem duração de mais ou menos 2 horas. Essa opção é mais sucinta e rápida, então pra quem não vai passar mais dias por lá, essa é, sem dúvida, a opção menos cansativa e possibilita um panorama geral das praias.

Deixo aqui a dica maravilhosa do Rastreador Via Satélite – SPOT – que garante segurança nos lugares mais inóspitos do planeta. Sempre uso nas minhas trilhas e viagens de aventura, pois me assegura com rastreamento em tempo real, compartilha informações de localização com meus parentes e possibilita resgate em caso de perigo ou risco de morte. Se você não conhece, dá uma olhada que vale a pena. Com o cupom LEVENAVIAGEM você consegue 5% de desconto na compra. O modelo que eu uso é o GEN 3.

Onde se hospedar

Não há locais ao redor das praias selvagens, e a cidade mais próxima (cerca de 10 minutos de carro) é Barra de Guaratiba. Foi ali mesmo que me hospedei e conheci o Tugas Marambaia, que é pousada, bar/restaurante e centro de atividades aquáticas. Eles que me levaram às praias mais lindas da região.


Como chegar nas praias selvagens

Barra de Guaratiba está a 57 km do centro do Rio, na zona oeste da cidade. Basta seguir sentido Barra, pegar a Avenida das Americas, passar Recreio deos Bandeirantes, passar pelo túnel Grota Funda em direção a Costa Verde do estado. Logo estará em Guaratiba. Já na cidade, você pode deixar o carro na praia  do Canto para começar a trilha que é a mesma para todas, inclusive para Pedra da Tartaruga. Se for de barco, pare o carro do Tugas que o seu passeio começará de lá.

Rapel na Pedra da Tartaruga

Na praia do Perigoso está a famosa Pedra da Tartaruga, com um visual único das praias selvagens e com um ótimo pico pra rapel. Claro que não perdi a oportunidade e fui com pessoal da @desbravandorio sentir um pouco dessa adrenalina.
O rapel tem cerca de 50 metros de altura e é negativo, ou seja, apenas um pedaço de descida pela pedra e logo após é apenas você e o ar.  

O valor varia de acordo com a quantidade de pessoas no grupo, e pode variar entre R$45 e R$120. Quanto mais pessoas, mais econômico fica.
Pra chegar até lá, é preciso seguir trilha sentido praia do Perigoso. É na bifurcação entre praia e pedra, subir sentindo Tartaruga. Mesmo que não faça rapel, a vista lá de cima é espetacular e vale seu suor! Olha isso:

Não deixe de incluir uma ida às praias selvagens do Rio de Janeiro, eu tenho certeza que irão te surpreender. Rio é muito mais do que zona sul e oferece uma gama de passeios rodeados de beleza natural! Se quiser se inspirar mais, dê uma olhada no Roteiro de 3 dias na cidade!


 

Luisa Galiza

Posts recentes

Parques para crianças em SP: 8 lugares para curtir com os pequenos

Sair com crianças às vezes pode ser um desafio para nós, adultos. Isso porque buscamos…

% dias atrás

Parques em São Paulo: 6 opções para se exercitar e sentir a natureza

Você mora em São Paulo, no meio do centro urbano, com todas aquelas construções, aquele…

% dias atrás

Saco de dormir para acampamentos: saiba como escolher o seu

Quando vamos acampar, sempre existem alguns equipamentos aos quais precisamos prestar mais atenção: barraca, bota,…

% dias atrás

Vanlife: como é fazer da estrada sua própria casa!

De um tempo pra cá, o movimento vanlife tem conquistado cada vez mais adeptos mundo…

% dias atrás

Retiro de Yoga: 10 lugares para renovar as energias

A correria diária com o trabalho, trânsito, o cuidado da casa e dos filhos, entre…

% dias atrás

Trilha do Rio do Boi: tudo o que você precisa saber sobre essa aventura!

A Trilha do Rio do Boi é muito conhecida entre os trilheiros, e isso não…

% dias atrás