Chapada dos Veadeiros

São João d’Aliança, o paraíso escondido na Chapada dos Veadeiros


Da Chapada dos Veadeiros, no Goiás, todos já ouviram falar. Mas quando nos referimos à essa região, as cidades na boca do povo são: Alto Paraíso, São Jorge e Cavalcante. Na verdade, o portal da Chapada é uma das regiões que todos sempre passam batido: São João d’Aliança.

Eu mesma, que já frequento há mais de 17 anos esses lugares, nunca tinha dedicado meu tempo a São João. Há uns 5 anos, ouvi falar que a cidade tinha cachoeiras incríveis e lugares muito pouco explorados e, ainda assim, adiei minha ida. Talvez por conta das atrações lindíssimas de Cavalcante, Alto e São Jorge (que sempre merecem repeteco), eu tenha protelado minha ida ao portal da Chapada.

ORGANIZANDO SUA VIAGEM

Pois bem, O DIA chegou! Como que caindo do céu, achei o contato do guia e bioconstrutor Geraldo Bertelli, uma figura encantadora, que mora em um lugar mais encantador ainda, casado com Dona Marlene, um amor.  Pense em um conjunto que enche de energia qualquer um que chegue ali. É IMPRESSIONANTE!

Mandei uma mensagem, me apresentei e disse que precisava conhecer a Chapada através dos olhos dele, que há 30 anos mora na cidadezinha beira de estrada com 13 mil habitantes, chamada São João d’Aliança.

São João está a 150 km de Brasília e 70 km antes de Alto Paraíso. É caminho obrigatório para quem sai da capital rumo à Chapada. Ainda pouco explorada turisticamente, a infraestrutura para receber o pessoal ainda é bem incipiente e não oferece variedade de hospedagem, restaurantes e guias qualificados.
No entanto, a falta de investimento na área turística de lá é inversamente proporcional à quantidade de beleza natural do lugar. Escrevo esse post alguns dias depois de voltar e ter conhecido apenas 2 lugares da região. Se já estou dizendo isso agora, imagine quando eu voltar (em breve) para explorar ainda mais!

⇒ Prestem atenção no que vou dizer aqui: mesmo frequentando a Chapada dos Veadeiros, anualmente, há muitos anos, eu digo que o que vi em São João d’Aliança é, sem sombra de dúvidas, umas das coisas mais lindas que já vi na região! E olha que eu conheço, viu… Mas sinceramente, a energia de seu Geraldo e os lugares que ele me apresentou logo de cara superaram toda e qualquer expectativa. Eu voltei simplesmente extasiada, renovada, enérgica e absolutamente apaixonada pelo que vi e senti.
São João d’ Aliança é um reduto de paraísos que poucos conhecem!

Antes de pensar em qualquer trekking, lembre-se que equipamentos de qualidade são essenciais para a boa prática, segurança e conforto. Eu indico a Loja online da The North Face, uma das melhores marcas de outdoor no mercado atualmente. Inclusive, para leitores e seguidores da Leve na Viagem existem alguns benefícios, principalmente descontos. Com o cupom levenaviagem você tem 10% de desconto nos produtos de todo o site The North Face e também na loja física! Ele é cumulativo, ou seja, dá pra usar combinado com outros descontos 🙂 Além dele, há também o site da Amazon.

Como Chegar a São João d’Aliança

Como disse, São João está a caminho da Chapada, e quem passa por Brasília passará por lá, obrigatoriamente.

♦ Alugue um carro! É imprescindível para chegar às cachoeiras e facilitar sua ida e vinda na cidade. Se você estiver indo de Brasília, a cidade está a 220 km de distância. Se você for por Goiânia, está a 412 km. Alugue um carro na Rentcar que não tem erro. Leve na Viagem é afiliado do Rentcars, você paga o mesmo preço mas ajuda na manutenção do blog! 😉

Caso precise ir de ônibus, veja aqui as opções.

♦ Avião + Carro
O aeroporto mais próximo é o Internacional de Brasília. Alugue um carro e siga o trajeto para Alto Paraíso pela BR-020 e GO-118.  A partir daí, são 174 km passando por São Gabriel e São João D’Aliança. Quando chegar em Alto Paraíso, basta virar no trevo à esquerda em direção a São Jorge e seguir pela GO-239 por mais 36 km de rodovia asfaltada.

♦ Ônibus
A partir de Brasília, as linhas de ônibus vão até Alto Paraíso. As principais linhas saem da Rodoviária Interestadual, ao lado do Estação Shopping pela companhia Real Expresso. Duas linhas percorrem o trecho todos os dias, às 10h e às 21h com custo médio de R$ 40.

♦ Carona
É uma das maneiras mais comuns de se chegar a São Jorge. Inclusive, foi assim que cheguei lá quando fui pela primeira vez para a vila, 17 anos atrás!
Alguns grupos no Facebook organizam e facilitam a comunicação entre quem oferece e quem procura carona, veja:

Central de Caronas – Encontro de Culturas / São Jorge
CONEXAO CHAPADA-BSB – Transporte Solidário

Quando ir

A melhor época para explorar a Chapada é na seca, entre maio e setembro. Nesse período, a chuva é escassa, o céu fica limpo e azul e o friozinho chega. Entre novembro e março, a chuva aperta, mas pode ter sorte de pegar um dia bom. Eu, por exemplo, fui em janeiro conhecer São João d’Aliança e consegui pegar dois dias de sol e muito calor, mas logo que voltei para Brasília já estava chovendo. O ruim das chuvas é que muitos lugares ficam perigosos por conta da tromba d’água. É interessante se programar dentro dos melhores meses e ficar de olho na previsão. Eu gosto muito do site Accuweather para verificar o clima e melhor me programar.

⇒ Curso de Preparação para trekking, da teoria à prática!

Onde se Hospedar

Minha indicação, logicamente, é a pousada do seu Geraldo, a Rebendoleng.

Seu Geraldo fez uma ecopousada/camping na casa dele, toda de bioconstrução, voltada para a preservação do meio ambiente, reutilização de materiais e sustentabilidade.
No momento, ele tem 3 chalés disponíveis e uma área de camping, com cozinha e banheiros coletivos. Tudo ali foi e é construído por seu Geraldo. Cada cantinho do chalé, a cama que você dorme, o chuveiro embutido na madeira, a janela, a decoração das garrafas de vidro na construção, tudo. Muito cuidadoso e delicado, construiu a ecopousada com detalhes que fazem toda a diferença, tanto de forma estética quanto utilitária. É claro que isso faz com que seja ainda mais especial e incrível o lugar. O espaço acaba sendo um centro de vivências sustentáveis e muitos visitantes vão até lá aprender um pouco do assunto.

 

Os quartos têm energia elétrica, chuveiro e ecofossas (micro processadores ecológicos de dejetos orgânicos). Os objetos do quarto são de madeiras reaproveitáveis e a construção é com adobe e materiais reciclados. Tem wi-fi, utilizam aquecedor solar e também o sanitário de compostagem (não gasta água, não gasta energia elétrica e seu resíduo se transforma em adubo). É um ambiente que utiliza várias ecotécnicas e que está em perfeita harmonia com a natureza, de forma integrada e equilibrada. Todo o conjunto faz do espaço um ambiente de muita calma e tranquilidade, ideal para descansar e incorporar a energia da Chapada.

 

É possível encomendar o almoço de Dona Marlene, por R$40. Ela faz uma comida farta e caseira com todo o carinho do mundo! A diária também inclui o café da manhã feito por ela, sempre oferecido na cozinha que fica na casa de seu Geraldo e D. Marlene, um espaço comunitário para interação e conversa. Ela sempre pergunta se alguém tem alguma restrição/opção alimentar especial, para atender da melhor forma possível. É simples, mas é caseiro, vem da horta de casa ou dos vizinhos e é feito no dia. 🙂

Como a quantidade de quartos é pequena, existem outras opções tanto rurais quanto urbanas. Veja abaixo.

Hospedagens Urbanas

Hospedagens Rurais

  • Rural Chik
  • Pousada Terra Bethania
  • Sítio Amarelo
  • Sítio Sagrada Família

 

→ Para fazer sua reserva na ecopousada e agendar o guiamento com seu Geraldo, entre em contato no número (62) 96694729.
Como a procura está grande depois da publicação deste post, nem sempre ele está com a agenda disponível. Por sugestão dele, seguem também os seguintes contatos para guiamento:  Zéria Severo (62 998461082) e Sissiane (61 998797478)

Se procura outros locais, nesse post aqui eu te dou algumas dicas de hospedagem na Chapada.

Deixo aqui a dica maravilhosa do Rastreador Via Satélite – SPOT – que garante segurança nos lugares mais inóspitos do planeta. Sempre uso nas minhas trilhas e viagens de aventura, pois me assegura com rastreamento em tempo real, compartilha informações de localização com meus parentes e possibilita resgate em caso de perigo ou risco de morte. Se você não conhece, dá uma olhada que vale a pena. Com o código AFILIADOS você consegue 8% de desconto na compra.
O modelo que eu uso é o GEN 4 e o SPOT X.

O que conhecer em São João D’Aliança

Bocaina do Farias

A Bocaina do Farias é um lugar de surpreender qualquer frequentador da Chapada. Um cânion com cerca de 800 metros de comprimento, com paredões de cerca de 50 metros de altura, esconde uma das belezas mais lindas da região. A formação geológica se deu por conta da ruptura de placas tectônicas há milhões de anos, e hoje é um cantinho de cachoeiras, formações rochosas incríveis e piscinas naturais.

Ele está a 65 km de São João d’Aliança, sendo 35 km pavimentados e 30 km de estrada de chão. É necessário guia para adentrar na trilha que, por ser pouco visitada, às vezes fica com o mato praticamente fechado em alguns trechos. A estrada até o local também não é sinalizada, e não precisa de 4×4, apesar destes chegarem 5 km mais perto do início da trilha do que um carrinho comum. O trekking é de 7 km, ida e volta, e o grau de dificuldade é médio/difícil. Na ida à Bocaina há bastante descida, e na volta, consequentemente, bastante subida.
Importante informar que desde meados de 2019 está sendo cobrado um valor para entrada e alguns requisitos de turismo de aventura por uma agência local chamada Raizera.

Adentrar a Bocaina é lindo demais, demais, demais. A luz que entra pelas rochas cria um ambiente de cores incríveis, silencioso, com apenas o barulho da cachoeira ao fundo. Para chegar até o final e conhecer essa cachoeira, é preciso nadar cerca de 20 metros (não dá pé), por entre as rochas. Vale a pena, olha isso que absurdo de lindo!!!

Quando você sai da Bocaina e segue a trilha, encontra cachoeiras e poços maravilhosos! É um conjunto de obras da natureza de tirar o fôlego!

 

 

ORGANIZANDO SUA VIAGEM

O visual do lugar é mesmo absurdo e é de uma energia maravilhosa! Superou toda e qualquer expectativa minha e entrou para o TOP 5 da Chapada dos Veadeiros!

Cachoeira do Label

Essa é a maior cachoeira do Goiás, com 187 metros de altura! Está no alto da Serra Geral do Paranã e é formada pelo córrego Extrema.
Para chegar até lá, é preciso percorrer 26 km de estrada não pavimentada. O estado dela não é dos melhores e para ir são muitas curvas e descidas de morro. É preciso passar por um córrego no meio do caminho. Na época da chuva, é bom ficar atento para saber se carro sem ser 4×4 passa com facilidade. A volta é um pouco tensa, pois o cascalho e os buracos na estrada dificultam as eternas subidas que precisam ser feitas na primeira marcha e com bastante cautela. A trilha tem 2,5 km e o grau de dificuldade é médio. A estrada não é sinalizada e parte da trilha é feita pelas pedras, beirando o rio, por isso é necessário um guia para levá-la até lá. Seu Geraldo foi um dos homens que ajudou a fazer essa trilha, anos atrás . Frequenta esse paraíso há mais de 15 anos e conhece cada pedacinho de terra ali.

A entrada sem guia é R$ 50 e com guia R$ 30.

A cachoeira do Label é imponente e acompanha você em praticamente toda a trilha. O mais incrível é que, por mais que se saiba do tamanho e magnitude dela, só é possível, de fato, entender essa grandeza quando você chega ao poço de água esverdeada. É de arrepiar qualquer ser humano, o lugar é absurdamente lindo!

Tem vários poços de água cristalina no meio da trilha, só parar e se deliciar com um todinho para você. É, sem dúvida, umas das cachoeiras mais bonitas que já fui e também entrou no TOP 5 da Chapada!!

Complexo Veadeiros

Nova atração em São João aberta em dezembro de 2020, com direito a piscina natural com borda infinita!

O @complexoveadeiros está a 12 km de estrada de terra a partir da cidade, que está a 140 km de Brasília.
》Não é necessário guia, estrada e trilha sinalizadas.
》São 3 cachoeiras: Veadeiros 1, 2 e 3. De 8, 33 e 55 metros, respectivamente. Há também um lajeado e mais 2 poços pra banho.
》A trilha é fácil, mas exige esforço físico na subida dos 304 degraus que te levam até a última cachoeira.
》O valor de entrada é R$30, com direito a cafezinho e biscoito caseiro. Aceita cartão de débito e pix.

 

Cachoeira do Dragão

Uma das atrações MAIS INCRÍVEIS da Chapada, essa cachoeira é para tirar o fôlego de qualquer um, literalmente. Ela está na estrada da Cachoeira do Macaquinho, leva cerca de 1h30 de carro (só 4×4 chega) e precisa ir com guia, pois além de ser nível moderado a difícil, é preciso equipamentos para chegar até o ponto final. A trilha pelo cerrado leva cerca de 1 hora de caminhada, até chegar ao rio e começar as travessias. São vários “entra e sai” da água, com vários trechos para nadar até a entrada do cânion, que leva cerca de 15 minutos nadando para as cachoeiras. É disponibilizado colete salva vidas e capacete e sugiro que alugue ainda um neoprene para proteger do frio que faz na travessia até a cachoeira. O lugar é surreal, de verdade! As fotos não mostram o grandeza dessa natureza. Indico o Henrique da @cerrado.tour, guia local que conhece bem o lugar e tem um carinho especial pela Chapada. Se for com ele, fale que chegou pelo Leve na Viagem, isso ajuda a valorizar nosso trabalho! 🙂

 

Cachoeira do Bonito

No caminho entre São João d’Aliança e Alto Paraíso, a 2 quilômetros saindo de São João, está a entrada para a Cachoeira do Bonito. Ainda não tem sinalização e, portanto, é importante ir com guia (sempre indico o seu Geraldo!). A estrada de terra tem apenas 6km, não passa de 20 minutos de carro, até que à esquerda uma pequena plaquinha indica a entrada da fazenda, para estacionamento e cobrança dos R$20 da entrada.

A trilha é muito tranquila (apenas 700m), super acessível para os que não são chegados à atividade física. Em 10 minutinhos de caminhada, chega-se à Cachoeira do Bonito, que faz jus ao nome. De água esverdeada e cristalina, esbanja beleza com sua mata fechada e seu poço grande e fundo, de água gelada. Olha isso:

Complexo dos Veadeiros

O Complexo dos Veadeiros é um atrativo recente, que não por isso deixa de ser incrível. Pelo contrário! A 12km de estrada de terra a partir de São João D’Aliança e a 140km de Brasília, é composta por 3 quedas d’água maravilhosas: Veadeiros 1, que tem 8 metros; Veadeiros 2, que tem 33 metros, e Veadeiros 3, que tem 55 metros. Há, ainda, um lajeado e mais 2 poços para banho.

Por ser recente, é uma trilha bem estruturada e é fácil. O preparo físico é necessário de qualquer forma, visto que são 304 degraus de subida até a última cachoeira. Para entrar, é preciso pagar R$ 30, que além da entrada, te permite saborear um cafezinho com biscoito caseiro. O pagamento pode ser feito também por cartão de débito e pix.

Ah, e detalhe especial: a Veadeiros 2 tem uma piscina de borda infinita que dá de frente pra maravilha do Cerrado! É sensacional e vale muito a pena a visita. Ah, e não precisa de guia!

Cachoeira das Andorinhas

Localizada no Córrego Rodeador, mesmo afluente da Cachoeira do Label, está a apenas 3km de São Jorge e bem localizada em São João. É preciso andar cerca de 8km de estrada de terra pela GO 236, cortando o Vale do Paranã. Depois de aproximadamente 2km, se não estiver numa 4×4, o trajeto precisa ser feito a pé. É quando consideramos o início da trilha, que tem aproximadamente 2km.

A trilha é curta e bem marcada, e dá pra fazer sem guia, mas acho interessante contratar um para não correr riscos. A entrada ali custa R$20 e você passa por poços de banho e um rio antes de chegar ao destino final, que é a cachoeira. O destino final é belíssimo e super compensa, afinal, é um valor acessível e o caminho não é tão desgastante. Tome muito cuidado nessa cachoeira, especialmente com crianças, pois as rochas são muito escorregadias, além de não serem planas, o que propicia a acidentes.

Macacão

De difícil acesso e pouco mencionada entre os turistas, o Complexo do Macacão é muuito lindo e super compensa a ida. É obrigatório chegar de 4×4, a menos que opte por realizar um trekking de 2 dias. Só dá pra chegar de 4×4 em virtude das muitas pedras, buracos e rios, coisas que um carro comum não suporta. Depois de estacionar o carro, são aproximadamente 30min de caminhada até chegar ao Complexo.

Toda a dificuldade é compensada com o visual incrível que se tem dali. Toda a queda, poços, vegetação… A água ali é verde, gente! A coisa mais linda, sério. São 2 quedas: Catedral e Escadaria, com ênfase na Catedral, que é incrivelmente bela, com um totem de pedra e um poço que tiram o fôlego! É um paraíso único, que encanta todo e qualquer visitante. A dificuldade de acesso vale muito a pena, garanto a você.

Ajude o blog a se manter!
Quer continuar vendo as melhores dicas do Leve na Viagem? Dá uma forcinha pra gente. Se você fizer reservas pelos links do Booking.com disponíveis aqui, uma pequena comissão é destinada ao blog, sem que você pague nada a mais por isso! O Leve na Viagem é gratuito e mantido com carinho, mas precisa da sua contribuição! 🙂

Onde comer em São João D’Aliança?

Existem algumas opções maravilhosas por ali, como:

  • Atos restaurante: com sistema self-service com boa variedade no buffet, fica ao lado de hotel com o mesmo nome. Preço bom, acessível e gostoso.
  • Cantina
  • Dona Amélia
  • Zero Hora
  • Legião Burguer

O que ainda tem por lá e preciso (vou!) explorar

  • São Pedro I e São Pedro II, dois complexos de cachoeiras
  • Cachoeira do Buritizinho
  • Cachoeira do Buracão
  • Cachoeira do Fundão
  • Dominguinhos
  • São Cristóvão
  • Retentem
  • Ribeirão
  • Lagos do Paranã

 

Em breve tem mais paraísos por aqui!!!!

 

 

Dicas Finais sobre São João D’aliança

  • Lembre-se que lugares lindos e quase intocáveis como esse DEVEM ser preservados. E isso só depende de mim e de você, certo? Não devemos terceirizar para o poder público, para os moradores do local, para os guias, etc. O importante é termos consciência de que a beleza dali só se manterá se nós respeitarmos a natureza e a comunidade local;
  • Não tente fazer os trajetos sem guia. Primeiro porque nada ali é sinalizado, nada! Os caminhos são longos, hora(s) de estrada de chão mais caminhadas demoradas. Alguns dos lugares são de difícil acesso e todo cuidado é pouco. Segundo, precisamos valorizar o trabalho das pessoas que vivem disso na região. Elas estudaram, sabem muito mais do que nós a respeito do lugar e têm muito a nos mostrar e ensinar. Seu Geraldo é uma pessoa, por exemplo, que traz uma paz de espírito sem igual, que faz sua trilha e sua viagem serem ainda mais lindas e engrandecedoras. Entre em contato no número 62 96694729;
  • Leve comida para as trilhas e lembre-se de levar de volta o lixo que produziu;
  • Leve repelente, os mosquitos ali adoram sangue novo;
  • Faça as trilhas de tênis e bota de trekking;
  • Tenha em mente que as estradas não são boas, se tiver um 4×4, maravilha; se não, vá com cuidado;
  • Não há muitas opções de restaurantes. O do Atos Hotel fica aberto do almoço ao jantar direto, aos finais de semana;
  • Vá de coração aberto para captar a energia do lugar, a força da natureza e o carinho das pessoas que vivem ali!

 

E é com muito orgulho que recebo esse feedback incrível do município de São joão d’Aliança:

 

 

 

 

Luisa Galiza

Veja os comentários

  • ja estou doida pra conhecer a chapada, agora vocÊ vem com essa novidade! Nunca tinha ouvido falar em são joão dalinaça, mas já fiquei encantada com esse post, que lugar mais lindo! amei saber dele!

  • Voce é, sem contesto, a pessoas que mais conhece a chapada que eu conheço. Te sigo no Insta e sempre posta fotos liiiiindas. Parece ate que não fomos na mesma chapada tanto que não vi esses lugares incríveis das suas fotos.
    Acredita que é melhor ficar hospedado em Sao Joao em vez de Alto Paraíso em termo de beleza natural e deslocamento ?

    • Nossa Alice, obrigada! Sua pergunta é difícil.... Acho que vale duas idas sabe, ou pelo menos 1 semana de estadia na Chapada. Assim você consegue conhecer Alto, São Jorge e São João!

  • Que achado! É tão bom ter novos olhares sobre coisas que pensamos conhecer. Estive na Chapada ano passado, mas não consegui conhecer nem metade das coisas que gostaria e quero voltar o mais rápido possível. De preferência podendo comer a comidinha da Dona Marlene, tive uma experiência ótima com comida caseira perto de Couros!

  • Que encanto mulher! E que espetáculo a Bocaina do Farias. Eu particularmente acho os cânions uma das belezas "master" da natureza, tanto pela beleza em si, quanto pela história milenar que carregam. Nosso Brasil têm chapadas maravilhosas, e até agora só tive a oportunidade de conhecer a Diamantina... Conhecer a Chapada dos Veadeiros já se tornou uma "necessidade" na minha vida!

  • UAU!!! Que achado incrível esse... nunca ouvi falar do lugar e já estou apaixonado, sus fotos são lindas! Você ficou 2 dias por lá certo? E quantos dias acha que deveria ter ficado para explorar melhor?

  • Esse é o tipo de post que enche meu coração de alegria, combina comigo.
    Adoro lugares pouco conhecidos, acho que eles nos transmitem uma energia ímpar.
    Adorei e está salvo como favoritos. Iremos a Chapada e quero muito conhecer esse paraíso.

  • Achei bem interessante esse post sobre São João d'Aliança. Não conheço a Chapada mas morro de vontades de visitar esse lugar de belas cachoeiras. Ficou bem completo seu relato. Parabéns. abraços

  • Meninaaaaaaa, que lugar é esse?! Estou apaixonada por Bocaina do Farias. Para uma pessoa que frequenta a Chapada dos Veadeiros há 17 anos e dizer que São João D'Aliança é o paraíso, então, não tenho dúvidas para onde ir quando eu estiver em Brasília.

  • Que lugar mais incrível!!
    Foram várias coisas que já li sobre a Chapada e nada, nenhum post sobre esse cantinho .
    A pousada também é uma graça, um super achado.
    Amei de paixão essa dica, Que, claro, ja está salva

  • Já vou salvar o contato do Seu Geraldo. Que passeio mais perfeito. Pode me adicionar na lista de amigos que já foram a chapada e não conhece São João d'Aliança! O que é essa cachoeira? Essas formações rochosas? Amei demais!.

Posts recentes

Lugares para viajar sozinha: 5 destinos para você desbravar!

Muitas são as mulheres que têm o sonho de viajar sozinha. No entanto, muitas também…

% dias atrás

Portais de Hércules: tudo o que você precisa saber

Localizados no Rio de Janeiro, mais precisamente no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, os…

% dias atrás

Chá da tarde simples para fazer em casa ou em qualquer lugar!

Um hábito muito gostoso de ter e que às vezes nos esquecemos é o do…

% dias atrás

Como economizar dinheiro para viajar: torne seu sonho mais fácil!

Viajar é, de fato, um sonho de muita gente. Na verdade, um estudo feito pelo…

% dias atrás

Declaração de saúde do viajante: tudo o que você precisa saber!

Após a explosão da pandemia do Coronavírus, aconteceram muitas mudanças e adaptações na forma de…

% dias atrás

O que fazer em Malta: um guia para visitar o arquipélago

Localizado no mar mediterrâneo, entre a Sicília e a Tunísia, Malta é considerado um pequeno…

% dias atrás